5 Dicas Indispensáveis Para a Gestão de Empresas

dicas para gestão empresa

Abrir o próprio negócio no Brasil não é uma tarefa fácil. Mas mais difícil que abrir é mantê-lo operando. De acordo com uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aproximadamente 50% das empresas nacionais encerram suas atividades em apenas quatro anos. Diante desse valor, é importante que a gestão da empresa seja bem fundamentada e estruturada, para que tenha sucesso e não entre para essa estatística. Se você deseja abrir o seu negócio, veja as dicas indispensáveis para a gestão de empresas que preparamos para você.

1. Conheça os números para melhorar a gestão da empresa

Parece clichê, mas grande parte das empresas que encerram suas operações tinham uma gestão que não conhecia os dados da companhia. É essencial que o gestor saiba tudo sobre os números das movimentações, os custos mensais, margem de lucro.

Além disso, é recomendado conhecer não só os valores da empresa, mas do mercado. Saiba quanto gira o seu negócio no âmbito nacional e internacional e como atuam seus concorrentes e aplique isso nas metas e decisões que tomar.

2. Crie um bom planejamento estratégico

A base para a boa gestão de empresas é o planejamento estratégico. Nesse momento, vamos estudar o ambiente interno e externo, definir as metas e objetivos do negócio, os parâmetros de controle (como indicadores de desempenho), além, é claro, dos planos de ação.

Valores, missão e visão

Esses três elementos são um norte da empresa. Os valores determinam a postura ética da organização, enquanto a missão é o objetivo dela no mercado, o que ela se propõe a fazer.

Por último, a visão é o direcionamento do negócio, ou seja, o que ele pretende conquistar no longo prazo. Cada colaborador, ao entrar na empresa, tem conhecimento desses três elementos e deve se espelhar neles.

Avaliação do ambiente

Temos que realizar, ainda, a avaliação SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats), que, em português, pode ser interpretada como avaliação FOFA (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças). Por meio dessa ferramenta, é possível avaliar o cenário – ou análise de ambiente – sendo uma base para o planejamento estratégico.

3. Defina metas inteligentes para o negócio

Um ponto fundamental na gestão de empresas é a definição de metas para o negócio. O ideal é estabelecê-las com critérios objetivos. Para isso, devemos obedecer o padrão de metas SMART, uma sigla em inglês que representa: S (Specific), M (Measurable), A (Attainable), R (Relevant), T (Time Based). Traduzindo para o português, temos:

S – Específicas

Toda meta precisa ser específica, isto é, ser representada por meio de dados e números exatos para que sejam compreendidas. Simplesmente dizer que a meta de uma equipe é “Vender mais” não significa uma meta específica. Ela deixa aberturas para interpretações diferentes, tendo vários caminhos a seguir. Um bom exemplo de meta específica é: “Aumentar as vendas em 20% criando um blog da empresa com Marketing de Conteúdo”. Com essa meta, fica claro o objetivo da equipe e o método que deverá ser usado para alcançá-lo.

M – Mensuráveis

“O que não pode ser medido, não pode ser gerenciado.” Assim diria Peter Drucker, uma das referências em Administração Moderna. Pensando dessa forma, nada adianta criar uma meta se ela não pode ser medida e avaliada. Após definir a especificidade da meta, defina o valor que deve ser atingido e quanto tempo deverá ser gasto para chegar no objetivo.

A – Atingíveis

Não adianta estabelecer uma meta que não pode ser atingida, seja pelo resultado ou pelo tempo. Se ela não pode ser alcançada, gerará na equipe um sentimento de frustração e desmotivação. Esteja certo que há meios para se alcançar o objetivo e que o tempo estimado para conclusão é suficiente.

R – Relevantes

É muito importante que as metas estejam adequadas aos valores, à missão e à visão do negócio, elementos estabelecidos no planejamento estratégico. Devem ser objetivos que façam a diferença, que gere vontade da equipe de alcançá-los.

T – Temporais

Como já falamos, todas as metas devem ser mensuradas, tendo um valor a ser atingido. Mas e se esse valor não for acompanhado de prazo? Imagine a seguinte meta: vender 1000 produtos na loja virtual. Como não há um prazo definido, essa meta pode ser alcançada em um mês ou em 10 anos! Por isso é importante definir o tempo de conclusão.

4. Estabeleça os indicadores-chave de desempenho

Tão importante quanto planejar os passos do seu negócio é acompanhar os resultados para ver se tudo está acontecendo de acordo com o previsto. Porém, a gestão tem que ser resiliente, conhecendo os imprevistos do mercado e se adaptando às circunstâncias.

A melhor forma para monitorar o seu negócio é definir os indicadores-chave de desempenho que serão acompanhados. Como cada empresa possui as suas peculiaridades e prioridades, não existe um padrão a ser seguido nesse sentido.

O mais importante é que você defina as suas metas e objetivos para saber exatamente o que vai acompanhar. Só assim pode definir o que deve ser priorizado e o que não é tão relevante assim.

5. Conte com as ferramentas de gestão

É extremamente importante a utilização de ferramentas de gestão para monitoramento do negócio. Nesse sentido, podemos dizer que é possível utilizar tanto as ferramentas tradicionais de monitoramento, quanto àquelas que permitem a automação do negócio. Vamos conferir cada uma delas logo abaixo.

Ferramentas tradicionais

Entre elas, podemos incluir o controle dos fluxos de caixa, fundamentais para o acompanhamento da movimentação de recursos operacionais do negócio. Temos também a análise SWOT, já avaliada por nós, a matriz BCG, usada para verificar o ciclo de vida de determinados produtos, além do Bechmarking, que é fundamental para identificar as tendências do mercado para atualização da gestão da empresa.

São inúmeras as ferramentas e todas elas são importantes para tornar a gestão do seu negócio ainda mais profissional.

Softwares de gestão de empresas

Softwares e sistemas de automação são indispensáveis para a melhoria da gestão. Atualmente, não existe negócio que não conte com esse tipo de solução. Desde negócios muito pequenos, como bancas de jornal, até as multinacionais, utilizam sistemas para tornar toda a rotina mais ágil.

O mais importante na hora de implementar os softwares de gestão no seu negócio é considerar quais são as necessidades da sua empresa. Afinal, cada setor possui suas características e peculiaridades. Por isso, você deve procurar por um fornecedor que ofereça soluções personalizadas.