Administrar uma empresa sem utilizar dados concretos é o mesmo que tentar cruzar o Oceano Atlântico sem instrumentos de navegação. Pode até funcionar, mas as chances de atingir o objetivo são muito pequenas e dependem mais de sorte do que habilidade. Na área de gestão, estas bússolas recebem outros nomes, como fluxo de caixa, balancete e Demonstração do Resultado do Exercício (DRE).

Estes relatórios e ferramentas não apenas ajudam a controlar os recursos financeiros da nossa empresa, como também fornecem informações importantes. Se bem utilizados, podem ser ferramentas essenciais para a tomada de decisões estratégicas para o crescimento do negócio.

Hoje, vamos falar sobre a Demonstração de Resultado do Exercício e a sua importância. Também vamos explicar como montar a DRE. Vamos lá?

Afinal, o que é DRE?

A Demonstração do Resultado do Exercício é um relatório que apresenta o lucro ou prejuízo que sua empresa teve em um período. Ela serve tanto para fins fiscais, quanto administrativos, como forma de mensurar a saúde financeira do empreendimento.

Segundo a legislação, a DRE deve ser emitida anualmente pelo contador da empresa e compreende o período entre janeiro e dezembro. Os microempreendedores individuais (MEIs) não precisam emitir a Demonstração.

Porém, devido à relevância das informações apresentadas no documento, é fundamental que você faça sua emissão em períodos de tempo menores, acompanhando mensalmente ou no trimestre.

Isso porque ela apresenta dados importantes como custos e despesas operacionais, receitas, lucros ou prejuízos, entre outros. Assim, é possível responder questões como o quanto a empresa gastou com, por exemplo, aquisição de matéria prima e quanto de lucro no final do período.

Como montar uma DRE?

Seja para apresentar para sócios, ou para uma instituição financeira no momento de buscar um empréstimo, uma dúvida muito comum entre gestores é como montar um DRE. Apesar de variar de acordo com cada empresa, a estrutura básica da Demonstração de Resultado do Exercício é definido por lei e, portanto, deve ser respeitada. Vamos aos passos para a DRE.

  1. O primeiro passo para montar a DRE de sua empresa é encontrar a sua Receita Operacional Bruta. Ela é composta pela venda de produtos ou prestação de serviços. Em seguida é preciso deduzir devoluções, descontos, impostos, entre outros. Assim, você terá a Receita Operacional Líquida.
  2. Após, você deve deduzir o custos das vendas (ou da prestação de serviço). O resultado é o Lucro Bruto.
  3. O terceiro passo é subtrair as despesas operacionais (com vendas, administrativas, financeiras). Assim, você encontra o seu Lucro Operacional Líquido.
  4. Após, é preciso deduzir o Imposto de Renda e outras Contribuições Sociais. Assim, você tem o Resultado Líquido do Exercício.

Você pode conferir o modelo de estrutura da DRE abaixo:

Receita Bruta

(-) Deduções, descontos e impostos

(=) Receita Líquida

(-) custo da mercadoria

(=) Lucro Bruto

(-) despesas operacionais

(=) Lucro Operacional Líquido

(-) Imposto de Renda e Contribuição Social

(=) Resultado Líquido

Utilize um sistema para emissão da DRE

Apesar de ser possível calcular a Demonstração de Resultado do Exercício manualmente, o ideal é utilizar um sistema de gestão para emitir a DRE. Com o uso da tecnologia, você redus os erros e aumenta a segurança no processo de tomada de decisão. Assim, sua empresa terá um diferencial competitivo poderoso.

Solicite uma demontração do ERPsoft, e entenda como o sistema pode ajudar a gestão da sua empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *