10 dicas práticas de controle financeiro para o varejo

No varejo, ter um ótimo local, excelentes produtos e uma boa equipe de vendas são elementos essenciais para o sucesso. No entanto, nada disso importará se você não souber controlar seus custos. As margens de lucro no setor de varejo são tipicamente muito sensíveis. Por isso, erros no controle financeiro para o varejo podem custar caro. Assumir o controle das finanças do negócio, portanto, é fundamental.

Isso significa estruturar seu setor financeiro de forma a garantir gastos controladas e o aumento nas vendas. Por isso, para te ajudar nessa tarefa, vamos dar dicas de controle financeiro para o varejo que todo empresário precisa seguir! Vamos lá?

Antes de mais nada, que tal baixar este Kit de Planilhas para Gestão do Varejo?

1. Comece por um estudo de mercado

Crescer o seu negócio sem entender seus concorrentes é arriscado. A pesquisa de mercado pode prepará-lo para mudanças no cenário econômico. Além disso, impede que seu negócio seja deixado para trás pela concorrência.

Fazer um estudo de mercado é a primeira parte de um bom controle financeiro para o varejo. Isso envolve coletar e analisar informações sobre o mercado em que seu varejo está inserido, incluindo seus clientes, bem como concorrentes.

É de suma importância pesquisar qualquer mercado em que você queira entrar. Isso evita perder tempo e dinheiro em projetos fracassados. Além disso, é essencial que seu estudo seja revisto regularmente. Afinal, o cenário pode mudar de ano para ano.

2. Dê a devida atenção ao seu estoque

Em um negócio de varejo, o inventário é, sem dúvida, um dos ativos mais importantes. Assim, o controle de estoque é um investimento essencial.

Lembre-se que o estoque custa dinheiro. São necessários recursos desde a aquisição do item, armazenamento e transporte. Portanto, é preciso dar a devida atenção ao seu estoque.

Dessa forma, é importante ter uma equipe qualificada e fazer contagem do estoque regularmente. Além disso, é preciso principalmente contar com um software de gestão que permita automatizar o controle do inventário. Dessa forma, você assegura que as previsões de demanda sejam precisas e de que possui os produtos certos nos momentos certos.

3. Registre tudo no controle financeiro para o varejo

O gerenciamento do fluxo de caixa é o procedimento de monitorar, analisar , bem como ajustar as entradas e saídas resultante da venda de mercadorias. Para os negócios de varejo, a parte mais importante de processo é evitar a escassez de caixa ocasionada por saídas maiores do que entradas.

Para fazer esse gerenciamento, portanto, é fundamental que todas as operações da empresa sejam devidamente registradas. Para um pequeno negócio sem grandes ambições, isso pode significar fazer o registro em uma planilha do Excel. Contudo, quem busca crescer precisa automatizar esse processo com o uso de um ERP.

4. Atenção ao fluxo de caixa

Ganhar dinheiro e aumentar a receita não é a única parte da gestão eficiente do fluxo de caixa. Quando uma loja de varejo não consegue manter o equilíbrio ideal entre entradas de caixa (o dinheiro recebido pela venda da mercadoria) e saídas (o dinheiro pago a fornecedores e despesas de loja), pode não ser capaz de pagar os custos de manter o negócio, muito menos de gerar lucratividade.

Quanto maior a lacuna, mais as chances de a loja ficar fora de competição. Portanto, o gerenciamento eficaz do fluxo de caixa é imperativo no planejamento e no funcionamento competente de todos os aspectos das operações de varejo.

5. Conheça os custos reais dos produtos

Como você define seus preços pode ter uma série de implicações para o seu negócio. Nem todo preço definido precisa maximizar suas margens. Muitas pequenas empresas usam o preço para competir, mudar participação de mercado ou criar diferentes cenários de receita.

Compreender como os preços afetam seu modelo de negócios, e não apenas seus resultados, ajudará você a escolher melhor os níveis de preços. Por isso, é essencial conhecer e monitorar os custos reais dos produtos que você vende.

6. Prepare-se para a inadimplência

Todo e qualquer negócio, não somente no varejo, está sujeito à inadimplência. Entender como ela pode afetar seu fluxo de caixa e o que você pode fazer para minimizar os impactos e diminuir o número de clientes inadimplentes é fundamental.

Nessa hora, uma importante ferramenta é a projeção de fluxo de caixa. A partir do histórico de vendas e dos fluxos passados, você poderá prever com certa precisão quais serão as expectativas de vendas para o futuro, qual a taxa de inadimplência média para cada período e planejar ações que mitiguem possíveis problemas.

7. Estruture as suas cobranças

Uma das ações possíveis para reduzir a inadimplência e aumentar o controle financeiro para o varejo é estruturar suas cobranças. Pode ser um trabalho chato, mas cobrar é preciso no caso de pagamentos em atraso. Uma boa dica é estabelecer um sistema automático de lembretes que envie mensagens aos seus clientes quando da proximidade de um vencimento.

8. Não controlar o giro dos produtos

É um erro ter a mesma meta de inventário para todos os itens. Isso pressupõe que todos os itens são consumidos na mesma quantidade, o que obviamente nunca é verdade. Por isso, é preciso gerenciar cada produto separadamente.

Isso vincula as decisões de consumo à demanda real do cliente no controle financeiro para o varejo. Use tempo de segurança em vez de estoque de segurança.

O tempo de segurança aumenta automaticamente o estoque de segurança em resposta à demanda antecipada, enquanto o estoque de segurança é uma quantidade estagnada que deve ser definida manualmente e não leva em conta as alterações na demanda.

9. Compartilhe as suas metas com os seus colaboradores

A produtividade da equipe também influencia no controle financeiro para o varejo. Uma das melhores formas de incentivar sua equipe e aumentar a produtividade é compartilhando suas metas. Quando seu time sabe onde o negócio precisa chegar, fica mais fácil que entendam qual o papel de cada um no alcance dessas metas.

Isso também gera motivação pois as metas passam a ser de todos, e não da empresa. Porém, tão importante quanto compartilha as metas é compartilhar os resultados. Estabeleça indicadores e acompanhe-os regularmente.

10. Automatize as suas finanças

Seguir todos os passos acima de controle financeiro para o varejo pode ser difícil – se não impossível – sem processos automáticos. É por isso que um bom sistema de gestão empresarial pode ser a diferença entre um negócio de sucesso e o fracasso.

O ERP, como já mencionamos acima, automatizará o controle de estoque, fluxo de estoque, custos dos produtos, geração de indicadores, além de tornar mais fácil acompanhar os pagamentos da sua clientela.

De nada adianta formular estratégias de marketing e e vendas se na hora de receber pelo seu produto, você cometer erros. É preciso estruturar o controle financeiro para o varejo para fechar as contas positivamente no fim do mês e evitar que pequenos problemas se tornem uma bola de neve.

O que achou do nosso artigo? Para que você possa contar com informações mais completas sobre planejamento financeiro, separamos um eBook com informações valiosas sobre o assunto e totalmente gratuito.

Samuel M Basso

Mais de 16 anos de experiência na área de tecnologia da informação Samuel é um executivo de negócios de TI, empresário e professor. Tem uma grande experiência em análise e desenvolvimento de sistemas de gestão, marketing digital, consultor de micro e pequenas empresas.

Deixe um comentário